Sexta-Feira, 16 de Novembro de 2018
Twitter Notícias na Web
Blog Notícias na Web

Doria anuncia chefe da Casa Civil em seu governo: Gilberto Kassab

05/11/2018 - Política
Presidente do PSD, atual ministro do governo Temer ocupou papel importante na articulação política para a formação da coligação do governador eleito

 O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), definiu o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) como o secretário-chefe da Casa Civil durante a sua gestão no Palácio dos Bandeirantes. Em entrevista coletiva marcada para o meio-dia desta segunda-feira 5, ele também vai oficializar a escolha do vice-governador eleito, o deputado Rodrigo Garcia (DEM), para assumir a secretaria de Governo, respondendo pela articulação política com a Assembleia Legislativa.

Prefeito de São Paulo entre 2006 e 2012, Kassab é presidente nacional do PSD, partido que fundou em 2011 após deixar o DEM. Atualmente, ele exerce o cargo de ministro da Ciência e Tecnologia no governo do presidente Michel Temer (MDB). Antes, comandou a pasta das Cidades no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) entre 2015 e 2016.

Durante a pré-campanha em São Paulo, o ministro teve um papel importante para a candidatura de Doria. O PSD foi o primeiro partido a fechar um apoio ao tucano, tendo Kassab na linha de frente para conter a migração de aliados do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) para a base do então pré-candidato à reeleição, Márcio França (PSB). Inicialmente, a expectativa era que o ex-prefeito fosse o candidato a vice-governador, mas ele acabou cedendo a posição para Rodrigo Garcia em nome da entrada do DEM na chapa.

Mesmo fechado com o governo Doria, Gilberto Kassab também teve um gesto interpretado como um aceno ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Responsável pelos Correios, o ministro decidiu substituir o atual presidente da estatal, Carlos Fortner, pelo general Juarez Aparecido de Paula Cunha, que estava à frente do Conselho de Administração.

Ao jornal Folha de S.Paulo, Kassab afirmou ter escolhido o general Juarez por ele “conhecer o pessoal do Bolsonaro”. “Pensei que isso ajudaria na transição”, disse. A pasta atualmente comandada pelo ex-prefeito no governo federal será dirigida, na gestão de Jair Bolsonaro, pelo astronauta Marcos Pontes (PSL), tenente-coronel da reserva da Aeronáutica.

Secretarias

Outros nomes cotados para o governo Doria em São Paulo incluem técnicos e pelo menos mais um político, o deputado estadual eleito Frederico D’Ávila (PSL). Presidente da Sociedade Rural Brasileira, D’Ávila é cogitado como ponte entre a gestão tucana e o PSL, que neste ano elegeu a maior bancada da Assembleia Legislativa, com quinze deputados estaduais.

O nome preferido do governador eleito para a Fazenda é o da economista Ana Carla Abrão, sócia da consultoria Oliver Wyman e ex-secretária da Fazenda de Goiás. Em 2016, ela foi sondada para ocupar a mesma pasta na capital paulista quando o tucano foi eleito prefeito, mas declinou do convite.

Para a Educação, o educador Mozart Neves Ramos, ex-secretário de Pernambuco e diretor do Instituto Ayrton Senna, é o favorito. O médico Claudio Lottenberg, ex-presidente do Hospital Albert Einstein, está cotado para a Saúde, assim como David Uip, ex-secretário durante o governo Alckmin. O ex-secretário municipal de Relações Internacionais, Júlio Serson, e o atual da Comunicação, Fábio Santos, também podem compor o governo.

Fonte: Veja
Notícias na web © 2018
Melhor visualizado na resolução 1024 X 768
Desenvolvido por:
Doway - Soluções Dinâmicas Web