Quarta-Feira, 16 de Janeiro de 2019
Twitter Notícias na Web
Blog Notícias na Web

Nasa vai lançar satélite para monitorar o derretimento de gelo na Terra

28/08/2018 - Ciências
ICESat-2 usará canhão de laser para medir com precisão inédita o efeito do aquecimento global sobre as massas polares; veja como

 No próximo mês, a Nasa vai lançar o IceSat-2, o novo satélite de monitoramento da massa polar da Terra. Usando o ATLAS, o laser mais avançado já desenvolvido pela agência espacial, o equipamento vai medir a altura das massas de gelo da Antártida e da Groenlândia.

De acordo com um comunicado divulgado na última quarta (22), o objetivo da agência é mapear as taxas anuais de diminuição das geleiras. Com isso, espera-se prever como essas mudanças vão alterar o nível dos mares e o clima nos polos terrestres e no restante do planeta.

A iniciativa vem da urgência ambiental do problema do derretimento das geleiras. Todos os anos, centenas de bilhões de toneladas de gelo somem por conta do aumento da temperatura, fazendo com que o nível dos oceanos aumente. Dos anos 80 para cá, a área de gelo do mar Ártico diminui 40%.

Como o satélite vai funcionar

A expectativa dos pesquisadores é aperfeiçoar as medições já realizadas pela Nasa a partir de 2003, com o IceSat-1, e em 2009, com o projeto Ice Bridge. Agora, a análise será feita em três dimensões e com uma precisão de frações de centímetro. Tudo isso graças ao poderoso ATLAS.

O sistema emitirá 10 mil pulsos de laser por segundo e registrará o tempo de deslocamento deles entre o satélite e a superfície da Terra. Com precisão certeira, ele vai mostrar a taxa de variação da velocidade em que os fótons (as partículas da luz) irão retornar para o satélite. Com isso, será possível saber o quanto que a altura determinado manto de gelo diminuiu em um ano.

Fora os polos, o ICESat-2 vai medir também a altura de ondas oceânicas, reservatórios e áreas urbanas, além da altura do topo das árvores em relação ao solo. Este último dado, combinado com outros existentes sobre as extensões das florestas, fornecerá uma estimativa da quantidade de carbono armazenada em áreas florestais no mundo.

“Como o satélite fornecerá medições de precisão sem precedentes e com cobertura global, ele produzirá não apenas novas reflexões sobre as regiões polares, mas também descobertas não previstas no mundo todo”, disse Thorsten Markus, cientista do projeto ICESat-2. O lançamento está programado para o dia 15 de setembro, na Califórnia.

Fonte: Superinteressante
Notícias na web © 2019
Melhor visualizado na resolução 1024 X 768
Desenvolvido por:
Doway - Soluções Dinâmicas Web