Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019
Twitter Notícias na Web
Blog Notícias na Web

Curiosidades: Polícia americana confirma que Day McCarthy já foi presa por prostituição

01/12/2017
Dayane foi presa sob acusação de manter uma casa de prostituição no estado da Virginia, nos Estados Unidos

 Day McCarthy, a mulher que fez ofensas racistas a Titi, filha de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, foi presa duas vezes nos Estados Unidos por prostituição, informou ao UOL o Departamento de Polícia do Condado de Henrico, no estado da Virgínia. Segundo o tenente Chris Garrett, Dayane Alcantara Couto Andrade foi presa em 19 de setembro de 2015.

Em sua ficha policial, Day aparece como "mantenedora ou frequentadora de prostíbulo" — "bawdy place", em inglês. No estado da Virgínia, a polícia dá voz de prisão para pessoas que se prostituem em esquinas, motéis ou até em suas casas. A pena pode é de até um ano de prisão ou pagamento de fiança de US$ 2,5 mil, cerca de R$ 8 mil. Segundo o UOL apurou, Day pagou a fiança. Atualmente ela vive em Las Vegas e não no Canadá, como diz nas redes sociais. 

 

No último final de semana, Day MaCcarthy publicou um vídeo no Instagram com ofensas racistas contra Titi, de 4 anos. Gagliasso registrou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), na zona norte do Rio. "Ela é uma criminosa, precisa pagar pelo que ela fez. Estou aqui porque ela disse que está em outro país. Conversando com a delegada, ela disse que é muito importante fazer isso porque é crime em qualquer lugar do mundo e ela vai responder por isso", disse o ator na porta da delegacia. A polícia civil do Rio informou a reportagem que "as investigações prosseguem e não há atualização sobre o caso".

Em seu site pessoal, Day McCarthy se define como escritora. Ela afirma que começou a escrever aos 14 anos e publicou quatro livros, embora não divulgue os nomes das obras. A brasileira diz também em sua biografia que tem diploma de bacharel em artes da renomada escola New York Film Academy e que estudou na Universidade Harvard. Segundo o a reportagem apurou, ela foi aluna do curso supletivo no Centro Educacional Barbosa Figueiredo, no Grajaú, na zona norte do Rio, mas não chegou a se formar.

UOL tentou contato com McCarthy durante toda a semana, mas ela não atendeu aos pedidos de entrevista até o momento. Não foi a primeira vez que Day McCarthy destilou comentários preconceituosos nas redes sociais. Em agosto, ela usou seus perfis para atacar Rafaela Justus, filha de Roberto Justus e Ticiane Pinheiro. Em uma montagem, comparou a menina ao personagem Chucky, dos filmes "Brinquedo Assassino".

Em outubro, o alvo das ofensas foi o filho de Ana Hickmann, Alexandre, de 3 anos. A apresentadora e o marido registraram boletim de ocorrência, em São Paulo. McCarthy também já falou mal em público dos filhos de Kim Kardashian e Beyoncé. Ofender alguém por causa da cor da pele é crime de injúria racial, e quem comete está sujeito a prisão de um a três anos. 

Fonte: Bol
Notícias na web © 2019
Melhor visualizado na resolução 1024 X 768
Desenvolvido por:
Doway - Soluções Dinâmicas Web